Com o intuito de proteger as pessoas e reduzir a propagação do Covid-19, no dia 20 de março de 2020 por meio do Diário Oficial da União, o ministro da saúde, Henrique Mandetta, determinou que durante a pandemia poderá ser feito o uso da telemedicina para atendimentos, permitida a partir do dia 23 de março.

Segundo o artigo 2 da portaria 467: “As ações de Telemedicina de interação à distância podem contemplar o atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico, por meio de tecnologia da informação e comunicação, no âmbito do SUS, bem como na saúde suplementar e privada.”

Por recomendação do CFM, o atendimento ambulatorial deve ser suspendido a fim de evitar o aglomero em centros médicos e consultórios. Com relação aos pacientes cirúrgicos, a recomendação dada foi a de adiar cirurgias eletivas, mantendo apenas aquelas de urgência. Essas medidas são de extrema importância para que o vírus não se propague e assim possamos minimar o mais rápido possível essa situação.

Como realizar o atendimento a distância?

Uma forma simples de realizar seus atendimentos a distância é através das videochamadas. O Google disponibiliza uma ferramenta simples, porém eficaz (e gratuita), chamada Google Hangouts. Para utilizar basta estar conectado à sua conta do Google, como Gmail, por exemplo.

No canto superior direito da tela, você irá perceber um ícone com nove pontinhos que formam um quadrado. Clique sobre ele, e em seguida selecione a opção Hangouts. Após pressionar em videchamada e permitir o uso da câmera e microfone, você poderá convidar um paciente através do e-mail ou copiando o link e enviando pelo whatsApp, por exemplo.

Como utilizar o Google Hangouts para fazer videochamadas.

Como realizar a prescrição a distância?

Após realizar o atendimento, é importante que ele seja registrado em um prontuário, e o profissional de saúde poderá também realizar a prescrição médica. Com o software Ninsaúde Apolo, o profissional de saúde poderá utilizar documentos de receita para que grandes redes de farmácia (como por exemplo a rede Panvel) aceitem e forneçam os medicamentos aos pacientes.

Para utilizar é bem simples. Na tela de prescrição, ou na aba Impressão do Ninsaúde Apolo (áreas exclusivas do prontuário), após finalizar e salvar a receita, o profissional de saúde deverá pressionar no botão COVID 19. Em seguida, você terá uma chave de cliente e uma chave de prescrição, e essa chave deverá ser compartilhada com o paciente, por e-mail ou por WhatsApp, como mostra o exemplo a seguir:

Com essa chave o paciente deve ir a farmácia e abrir ela através do site https://apolo.ninsaude.com/covid19/ inserindo o código da chave enviada pelo profissional, e em seguida pressionar em visualizar a prescrição.


Se preferir, o paciente pode imprimir em casa, no entanto sugerimos que o site deva ser aberto na farmácia, e o documento impresso no local, para que assim evite quaisquer transtornos ou dúvidas quanto a veracidade do documento. Ressaltamos também que não podemos afirmar se todas as farmácias aceitarão esse tipo de prescrição, portanto o ideal é manter-se informado para que possa melhor instruir o paciente no momento da compra.

Assinatura digital

Caso o profissional de saúde já utilize de assinatura digital no Ninsaúde Apolo, não há com o que se preocupar, o documento já estará validado juridicamente e devidamente assinado.

Caso o profissional não possua uma assinatura digital, devido as orientações quanto ao COVID-19 não irá conseguir adquirir um nesse momento. No entanto, existem sites que permitem uma validade mediante as assinaturas do médico e do paciente, sem a necessidade do certificado digital, como por exemplo os ClickSign e DocuSign.