As pessoas estão cada vez mais procurando convênios e planos de saúde que se adequem à sua realidade financeira com o intuito de garantir uma consulta por um preço menor. Mas e para o profissional de saúde, vale a pena atender por convênio? Continue lendo para descobrir.

Existem vantagens e desvantagens em se credenciar a convênios, sendo que, obviamente, as maiores vantagens serão vistas pelo paciente, mas infelizmente não pode-se dizer o mesmo em relação ao profissional de saúde.

No que diz respeito às vantagens, a primeira delas é o aumento na cartela de clientes. Quando o profissional de saúde atende pacientes por meio de convênios, é fato que o número de agendamentos aumenta significativamente, além de maiores chances de poder fidelizá-los. Ao credenciar-se, o profissional de saúde entrará na lista de profissionais das operadoras, fato que auxilia na divulgação de seu nome.

Essa vantagem também pode ser aproveitada em casos de profissionais de saúde que precisaram mudar de cidade, estão em início de carreira ou até mesmo que estejam alterando sua especialidade, sendo esta uma boa opção para captar pacientes.

No entanto, é importante ressaltar que em meio a estes benefícios surgem algumas desvantagens. A primeira delas é o valor das consultas pagas pelo convênio, que passam a ser menores do que aquelas que são pagas diretamente pelo paciente. Pelo fato de o valor repassado para o profissional ser baixo, haverá a necessidade de realizar um número maior de agendamentos para manter o custo da clínica.

Outro ponto relacionado aos recebimentos, é o fato de que esse processo pode ser demorado e burocrático. Se com o atendimento particular o dinheiro é recebido no ato, com o atendimento por convênio pode levar até 60 dias.

É importante ressaltar que além na demora, existe um outro possível problema relacionado aos convênios: as tão temidas glosas. Para cada consulta realizada é necessário preencher uma guia TISS, onde constarão informações sobre o paciente, procedimento, suprimentos e equipamentos utilizados. É através dessas informações que o convênio realizará o repasse, no entanto, qualquer erro ou rasura neste documento resultará em uma glosa, que é o nome dado à recusa do reembolso devido a erros técnicos.

Vale ressaltar que já é possível automatizar esse processo a fim de evitar possíveis erros. No Ninsaúde Apolo, por exemplo, trabalhamos com a funcionalidade de preenchimento automático de guias TISS, bastando apenas configurar o sistema uma única vez com as informações necessárias para o realizar o preenchimento com poucos cliques.