Com os pacientes cada vez mais conectados à internet e buscando informações sobre a saúde diariamente, é necessário que o profissional de saúde acompanhe esse ritmo e esteja presente também nas redes sociais.

Mas, você sabia que o CFM impõe várias restrições no marketing digital feito por profissionais de saúde? Conheça essas restrições e saiba como manter suas redes sociais ativas sem preocupações.

Expressões não autorizadas


É bem comum em anúncios ou até mesmo na descrição de empresas nas redes sociais os termos “o melhor”, “o mais eficiente”, “resultado garantido” ou outras com o mesmo sentido, no entanto, no que diz respeito ao marketing médico, estas expressões são proibidas, assim como sugerir que o serviço médico ou o médico citado é o único capaz de proporcionar o tratamento para um problema de saúde.

Garantia de resultados

Por mais que existam profissionais de saúde capacitados e de renome, sabe-se que cada organismo reage de uma forma diferente, então por mais que as chances de sucesso sejam grandes, é proibido assegurar ao paciente ou a seus familiares a garantia de resultados.

Nesse mesmo contexto também é proibido qualquer tipo de publicidade onde se apresentem designações, símbolos, figuras, desenhos, imagens, slogans e quaisquer argumentos que sugiram garantia de resultados.

Selfies no trabalho

Segundo a resolução 2.126/2015, é vedada a publicação de autorretrato (selfie) em situações de trabalho e atendimento, em situações como antes ou após cirurgias, por exemplo. Essa medida visa uma postura ética perante sua relação com os pacientes já que muitos acabam tendo sua privacidade violada por conta disso, inclusive com situações constrangedoras.

Fotos de pacientes


Alguns centros de estética utilizam fotos de clientes para ilustrar o resultado dos serviços prestados, no entanto, na medicina essa prática não pode ser aplicada. Expor a figura de seu paciente como forma de divulgar técnica, método ou resultado, ainda que com autorização expressa do mesmo,  assim como a publicação de imagens do “antes e depois” de procedimentos também é vedado ao médico e aos estabelecimentos de assistência médica.

Atendimento online


As redes sociais podem ser utilizadas para postagens relacionadas à saúde, mas é expressamente proibido oferecer qualquer tipo de consultoria a pacientes e familiares como substituição da consulta médica presencial assim como prescrição de medicamentos a distância.

Registro de especialidades


É importante que a especialidade e/ou área de atuação do profissional seja divulgada assim como número de inscrição no Conselho Regional de Medicina e número de Registro de Qualificação de Especialista (RQE), se o for. Pode também anunciar os cursos e atualizações realizados, desde que relacionados à sua especialidade ou área de atuação devidamente registrada no Conselho Regional de Medicina.
No entanto, é vedado ao médico divulgar especialidade ou área de atuação não reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina ou pela Comissão Mista de Especialistas.