A telemedicina vem ganhando cada vez mais espaço na atualidade, e isso se deve ao fato de que, desde o início da pandemia da covid-19, as consultas tiveram de ser feitas à distância para poupar a população dos riscos de contaminação. Por esse motivo, as teleconsultas tem ganhado a preferência de diversos pacientes, inclusive daqueles com idade superior a 45 anos.

Apesar de nomes bem parecidos, telemedicina e teleconsulta não são exatamente a mesma coisa. Chamamos de telemedicina o uso de tecnologias da informação e comunicação para o fornecimento de informação e atenção médica a pacientes que encontram-se em locais distantes do profissional de saúde. Dentro da telemedicina existem diversas modalidades de atendimento, sendo que a teleconsulta é uma delas. A teleconsulta é caracterizada por uma consulta médica remota, onde profissional da saúde e paciente estejam em diferentes localidades, sendo mediada por tecnologias, como por exemplo um software médico, como o Ninsaúde Apolo.

A modalidade de teleconsulta está sendo benéfica tanto para profissionais de saúde das mais diversas áreas, quanto para seus pacientes. O fato de não necessitar de um deslocamento de ambas as partes para iniciar uma consulta, tem tido um impacto positivo na vida das pessoas que utilizam dessa modalidade.

Antes de continuarmos, precisamos saber: você já utiliza um software médico para realizar seus atendimentos? Convidamos você a conhecer o Ninsaúde Apolo, software online que pode ser utilizado em um tablet, smartphone ou da forma tradicional, em computadores. Saiba mais em nosso site apolo.app.

Após dois anos de pandemia a saúde no mundo já passou por altos e baixos, e atualmente já temos boa parte da população vacinada contra o novo coronavírus. Apesar disso, muitas pessoas ainda não se sentem confortáveis para manter contato com outras pessoas e frequentar locais públicos, e este é um dos motivos pelos quais as telemedicina tem conquistado a preferência de muitos, inclusive de pessoas de idade mais avançada.

Imagem por Freepik

Segundo dados da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, as consultas via telemedicina tem tido constante procura, sendo que desde o início de 2021, os profissionais da instituição já realizaram mais 6.500 atendimentos nesta modalidade. Deste número, boa parte corresponde a pessoas com idade entre 45 a 75 anos onde as especialidades mais procuradas por este grupo de pessoas foram clínica geral, cardiologia e geriatria. Outro dado importante diz respeito ao gênero dos pacientes: um equivalente a 67% das pessoas que agendam teleconsultas é formado por mulheres.

Vantagens da teleconsulta

O uso da telemedicina é de extrema importância para ambas as partes - profissionais de saúde e pacientes. Mesmo com uma baixa no número de internações por contágio do coronavírus, é importante que ainda seja disponibilizado esse tipo de atendimento, e os profissionais que não são adeptos a essa modalidade podem até mesmo acabar perdendo seus pacientes para colegas da mesma área.

As vantagens que o atendimento via telemedicina trazem são válidas para todas as idades, mas especialmente para pessoas com faixa etária avançada, que muitas vezes tem problemas para se deslocar até uma clínica ou consultório para comparecer a uma consulta presencial. Esta dificuldade se deve a diversos fatores, confira alguns deles a seguir.

  • Dificuldade de locomoção: instabilidade ao caminhar e dificuldade de sentar e levantar de uma cadeira são algumas dos problemas pelos quais as pessoas de idade mais avançada podem passar, e que contribuem para a desistência de sair de casa para ir a uma consulta presencial. Na maioria dos casos, essas pessoas necessitam de um acompanhante, seja da família ou uma pessoa contratada especialmente para seus cuidados, mas nem sempre é possível conseguir alguém, e que também é considerado um dos empecilhos.
  • Dependência de familiares: em diversos casos ocorre de o paciente depender de algum familiar para acompanhá-lo nas consultas. O fato é que muitas vezes os familiares não tem disponibilidade por conta de outros compromissos, como o trabalho por exemplo, e assim fica inviável conseguir uma brecha para se deslocar como acompanhante do paciente.
  • Meio de transporte: mesmo aqueles pacientes mais independentes podem ter dificuldade em conseguir se deslocar até uma clínica, e isso se deve ao fato de que muitos não possuem meio de transporte próprio, e em alguns casos, depender de transporte público ou até mesmo de um Uber ou táxi acaba dificultando as coisas devido a uma série de fatores.
Além dos fatores citados acima, ainda há a preocupação por conta do coronavírus, afinal, pessoas acima de 60 anos fazem parte do grupo de risco de contágio.

Algo que pode ser encarado como um empecilho, é o fato de a teleconsulta ser feita através de um aparelho eletrônico. Este pensamento ocorre pois, em geral, pessoas com idade mais avançada encontram algumas dificuldades ao fazer uso da tecnologia, mas o fato é que acessar uma teleconsulta é bem simples, portanto o profissional de saúde ou mesmo a secretária poderá entrar em contato com esses pacientes antes da consulta para lhes instruir sobre como deve proceder.

Caso o profissional de saúde utilize o software médico Ninsaúde Apolo, assim que ele abre a tela de atendimentos, para utilizar a telemedicina é necessário enviar um link para que o paciente possa entrar na videochamada. O link pode ser enviado por e-mail ou whatsapp, e em ambas as opções, uma mensagem padrão é enviada junto ao link informando que é necessário acessá-lo para iniciar a consulta.

Após clicar no link, o paciente também precisa marcar a opção de "Concordo com os termos de uso do teleatendimento", termos estes que estão inseridos na página que foi acessada através do link. Além disso, não só o paciente, mas ambas as partes devem estar cientes de que é necessário uma boa conexão de internet para que a teleconsulta possa ser feita de maneira eficaz, e que caso haja perda de conexão durante a teleconsulta, haverá a necessidade de nova conexão para continuidade da teleconsulta.

A teleconsulta é uma modalidade da telemedicina que pode ser utilizada por meio de um celular, tablet ou computador, desde que o aparelho escolhido possua uma câmera. Sendo assim, tanto os médicos quanto os pacientes tem mais de uma opção de aparelho eletrônico para realizar as teleconsultas, bastando escolher aquela que lhe é mais prática ou de mais fácil acesso.

Imagem por Freepik

Caso você ainda não utilize a telemedicina em seus atendimentos, recomendamos que contrate um software médico, como o Ninsaúde Apolo. No início da pandemia, muitos profissionais estavam utilizando aplicativos como o Zoom, Google Meet, entre outros, porém, esta não é uma forma segura de realizar seus atendimentos, por questões de sigilo médico, entre outros. Para conhecer todas as vantagens do Ninsaúde Apolo acesse o site Apolo.app e solicite uma demonstração.

Fonte: Medicina S/A