O Dia Nacional do Combate ao Glaucoma foi criado para conscientizar a população sobre a prevenção e o tratamento da doença. A data foi oficialmente instituída a partir do decreto de lei nº 10.456, de 13 de maio de 2002, e todos os anos movimenta campanhas por todo o Brasil.

O glaucoma é uma doença que degenera o nervo óptico, parte do olho que conduz as imagens da retina ao cérebro para que possamos enxergar. Enxaqueca, miopia, apneia do sono e ascendência asiática estão entre os indicadores de glaucoma.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o glaucoma é a segunda doença que mais cega no mundo, ficando atrás apenas da catarata. A doença também é considerada a maior causa de cegueira permanente no mundo, e chega a atingir anualmente cerca de 5% da população brasileira. Estima-se que 60 milhões de pessoas possuem glaucoma, mas apenas 50% delas sabem, pois é imperceptível na maioria das vezes. Até o final de 2020 a estimativa é que este número chegue a 80 milhões.

Tipos de glaucoma

Glaucoma crônico - O glaucoma de ângulo aberto (crônico) é o tipo mais comum de glaucoma e tende a ser hereditário, mas sua causa é desconhecida. Nele, um aumento na pressão ocular desenvolve-se lentamente com o passar do tempo, e a pressão elevada causa um dano permanente no nervo óptico, causando perda do campo visual.

Glaucoma agudo - O glaucoma de ângulo fechado (agudo) ocorre quando a saída do humor aquoso é subitamente bloqueada. Isso origina um aumento rápido, doloroso e grave na pressão intraocular.

Glaucoma congênito - Como o próprio nome diz, é o tipo de glaucoma em que a criança já nasce com a doença, herdada da mãe durante a gravidez. Este tipo de glaucoma, no entanto, é considerado raro, e se descoberto, deve-se tratar imediatamente.

Glaucoma secundário - Costuma ser causado principalmente pelo uso de medicamentos, como corticosteroides, pelos traumas e por outras doenças oculares e sistêmicas.

Sintomas e tratamento

Os sintomas dependem do tipo de glaucoma, mas em geral são muito parecidos. Entre os sintomas mais comuns estão olhos vermelhos, visão embaçada e sensibilidade à luz.

Embora não exista cura para o glaucoma, a doença pode ser controlada com tratamento adequado. O objetivo do tratamento é diminuir a pressão ocular causada pela doença. Dependendo do tipo de glaucoma, isso pode ser feito por meio de medicamentos ou até mesmo cirurgia. Com bons cuidados, a maioria dos pacientes do glaucoma de ângulo aberto, por exemplo, pode controlar a doença e não perder a visão, mas a doença não pode ser curada.

Em casos de suspeita, procure um clínico geral ou oftalmologista, eles poderão diagnosticar o glaucoma através de uma bateria de exames. A prevenção também é importante arma no combate à doença, por isso é importante visitar regularmente um especialista para receber cuidados oculares.

É importante também estar atento ao histórico de saúde ocular da sua família, bem como não deixar de utilizar proteção adequada aos olhos, principalmente ao utilizar ferramentas elétricas ou na prática de esportes com raquete em alta velocidade, em quadras fechadas.

O uso de EPI (equipamento de proteção individual) é indispensável no manuseio de ferramentas elétricas, na prevenção ao glaucoma.