Realizar a gestão financeira de uma clínica ou consultório, assim como em qualquer outro tipo de empresa, é uma tarefa muito importante, e que deve ser feita de forma cuidadosa.

Em alguns artigos anteriores, já abordamos o quão importante é realizar o acompanhamento do fluxo de caixa. Inclusive, no software médico Ninsaúde Apolo, existe uma área específica para isso, onde todos os valores de entradas e saídas são calculados automaticamente, para que o administrador realize uma gestão mais prática e eficiente.

Confira alguns dos nossos artigos sobre gestão:

Entre erros e acertos, muitos gestores acabam fazendo algo extremamente prejudicial ao seu negócio, que é misturar as finanças pessoais com as finanças da empresa. Isso também ocorre com frequência na administração de clínicas e consultórios, e veremos a seguir porque esse erro é tão comum, quais os riscos dessa prática, e como corrigir.

Antes de qualquer ação, é importante criar uma conta bancária exclusiva para as finanças da clínica. Mesmo que você possua um consultório pequeno onde você será o único profissional de saúde trabalhando, possuir contas bancárias distintas lhe auxiliará a separar as finanças pessoais das finanças da empresa.

Caso você utilize um software de gestão, como o Ninsaúde Apolo, poderá realizar essa divisão dentro do sistema também, pois ao utilizar o módulo financeiro do software, é necessário indicar de qual conta bancária um determinado pagamento está saindo, e em qual conta bancária um recebimento está entrando.

Outro ponto importante para uma boa gestão, é registrar todas as movimentações financeiras da clínica, sem exceção. Comprou uma cadeira nova para a secretária ou contratou um eletricista para fazer algum reparo? Registre seus gastos junto às movimentações da empresa. Apesar de parecer algo óbvio, muitos gestores acabam esquecendo desse detalhe, e isso pode prejudicar o fluxo de caixa, pois os valores obtidos não irão condizer com a realidade.

Nesse sentido, é possível afirmar que esse é o principal motivo pelo qual o gestor não deve misturar as finanças pessoais com as da clínica: para que os resultados sejam mais precisos. Essa regra vale não só para as despesas, como também para os recebimentos, a menos que esse recebimento realmente seja investido na clínica.

Para que você entenda melhor, vamos exemplificar. Ao analisar o fluxo de caixa, se o saldo for negativo, significa que a empresa tem despesas a mais, e neste caso o gestor deverá rever os gastos para conseguir aumentar o lucro. Por outro lado, um saldo positivo indica que a empresa está conseguindo manter suas obrigações financeiras em dia.

Agora digamos que na sua vida pessoal, você seja um colecionador, mas acaba vendendo algum item da coleção. Esse valor deverá ser creditado em sua conta bancária pessoal, pois não foi um lucro obtido pela clínica, a menos que o objetivo da venda seja realmente utilizar o valor como um aporte.

Por outro lado, temos também as despesas. Imagine que matriculou seu filho em uma escola de idiomas, e você inclui esse gasto mensal nas finanças da clínica. Por não se tratar de uma despesa realizada em prol da clínica, seu fluxo de caixa não lhe trará informações corretas sobre o saldo atual.

Como explicado anteriormente, é necessário analisar o fluxo de caixa para que através dele o gestor saiba qual a melhor tomada de decisão, no entanto, registrando suas finanças de forma errônea, o fluxo poderá apresentar um saldo maior ou menor do que a realidade, justamente por conta dessa mistura de despesas e receitas.

Com essas informações, acreditamos que poderá realizar uma gestão mais eficaz e conseguirá definir melhor os rumos que tomará a saúde financeira da sua clínica. Esperamos ter ajudado, e caso necessite de mais dicas como esta, basta continuar acompanhando o blog. Trabalha na área da saúde mas ainda não é cliente Ninsaúde Apolo? Entre em contato através de nosso site, ou através do Whatsapp, pressionando no ícone ao lado direito da tela, e solicite já uma demonstração.