No ano de 2010 a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu a data de 28 de julho como o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. Desde então o mês de julho vem ganhando destaque para o assunto, e no ano de 2018 o Senado aprovou a criação do Julho Amarelo, campanha que visa reforçar as iniciativas de combate às hepatites virais.

O que é a hepatite?

Hepatite é uma inflamação no fígado que pode ser aguda ou crônica, podendo ser causada por diversos vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras substâncias tóxicas. Pelo fato de serem transmitidas por vírus, as hepatites podem evoluir para doenças crônicas que causam danos mais graves, acarretando até mesmo em cirrose ou câncer.

Quais os sintomas?

Muitas das hepatites virais são silenciosas e nem sempre apresentam sintomas, porém, quando apresentados costumam ser:

  • Tontura
  • Enjoo
  • Vômitos
  • Cansaço
  • Dor ou desconforto abdominal
  • Amarelamento da pele e dos olhos
  • Fezes claras
  • Urina escura.

Vale ressaltar que os sintomas podem variar conforme o tipo de hepatite.

Quais os tipos e causas das hepatites virais?

Cada tipo de hepatite é causada por um vírus diferente, classificados em A, B, C, D e E, e suas causas variam conforme o tipo, sendo que no Brasil as mais comuns são as hepatites A, B e C. Vejamos a seguir um pouco mais sobre as características de cada uma delas.

Hepatite A

Também conhecida por “hepatite infecciosa”, a hepatite A é uma doença contagiosa causada pela transmissão do vírus HAV. Sua transmissão é fecal-oral e pode se dar através do contato entre indivíduos, de alimentos ou água contaminada, estando fortemente ligada às condições de saneamento básico e higiene.

A hepatite A tem cura, e desde 2014 sua vacina foi incluída no calendário de vacinação do SUS para crianças. A vacina é recomendada para crianças, adolescentes e adultos não imunes, e deve ser aplicada a partir de 12 meses de idade com reforço após 6 meses.

Hepatite B

A hepatite B, também chamada de soro-homóloga, é uma doença infecciosa causada pelo vírus HBV, transmitido principalmente por meio de fluídos corporais como sangue, sêmen e leite materno.

Pode ser transmitido de mãe para filho na gestação ou na amamentação, através de relação sexual sem uso de preservativos, transfusão de sangue contaminado, compartilhamento de objetos pessoais, como alicate de unhas, lâmina de barbear, escova de dentes, seringas e agulhas não esterilizadas, entre outros, bem como na utilização de materiais não descartáveis em estúdios de tatuagens e body piercing.

A vacinação contra hepatite B é indicada para pessoas de todas as faixas etárias, devendo ser aplicada, de preferência, nas primeiras 24 horas após o nascimento, prevenindo assim a hepatite crônica.

Hepatite C

A hepatite C, chamada também “Hepatite não A não B” (NANB), é causada pelo vírus HCV, e é transmitido principalmente pelo sangue contaminado. Assim como a hepatite B, a hepatite C também pode ser transmitida de mãe para filho durante a gravidez e parto, no contato sexual, e por meio de objetos e materiais citados anteriormente.

Infelizmente, ainda não existe vacina contra essa doença, no entanto, a hepatite C é uma das poucas enfermidades crônicas que pode ser curada.

Hepatite D

A hepatite D, chamada também de Delta, é causada pelo vírus HDV e possui características semelhantes às hepatites B e C no que diz respeito ao meio de transmissão. No entanto, esse vírus depende do vírus B para poder infectar uma pessoa, então por mais que ainda não exista vacina contra a hepatite D, a vacina contra a hepatite B protege contra o vírus Delta.

Hepatite E

A hepatite E é causada pelo vírus HEV, e assim como a hepatite A, está fortemente ligada à falta de saneamento básico e higiene pessoal. No Brasil a doença é considerada rara, tendo maior índice na África e Ásia. Ainda não existe vacina contra a hepatite E, então a melhor forma prevenção é manter uma boa higiene e evitar consumo de alimentos com procedência duvidosa.

Diagnóstico e tratamento

Ao apresentar sintomas como os que foram descritos aqui, é recomendável procurar um médico para obter o diagnóstico e definir o acompanhamento e tratamento necessários para evitar complicações.

O diagnóstico da hepatite é feito através da identificação dos sintomas, onde por meio de exames será analisada a causa da hepatite.

A hepatite A é uma doença aguda, e o tratamento se baseia em dieta e repouso. A hepatite C tem cura em mais de 90% dos casos quando o tratamento é seguido corretamente. Já as hepatites B e D têm tratamento e podem ser controladas, evitando a evolução para cirrose e câncer.