Originalmente publicado em 1982 no American Journal of Sports Medicine e posteriormente modificado em 1985 na Clinical Orthopaedics and Related Research, o Score Lysholm foi projetado para ser usado na avaliação de resultados de cirurgia de ligamento do joelho, particularmente para sintomas relacionados à instabilidade.

Os transtornos internos da articulação do joelho são inúmeros e de consequências variadas para a função e a qualidade de vida do indivíduo. A crescente procura por atividades físicas associada a uma anatomia complexa e tão vulnerável da articulação do joelho fez com que aumentasse a incidência de lesões ligamentares desta articulação, principalmente do ligamento cruzado anterior (LCA).

A complexidade da articulação do joelho e o número de critérios para avaliar sua função e sintomatologia tornam difícil mensurar e quantificar os tratamentos empregados. Em 1955, O'Donoghue foi o primeiro a desenvolver um sistema para avaliação de resultados. Um exame objetivo e um questionário de 100 pontos foi usado para avaliação do resultado das reparações ligamentares do joelho.

Em seguida, Slocum e Larson reconheceram a necessidade de avaliar a instabilidade rotatória e os valores comparativos do pré e pós-operatórios. Mais tarde, Lysholm e Gillquist desenvolveram uma escala para avaliação de sintomas.

A escala de Lysholm inclui aspectos básicos da escala de Larson, introduzindo, contudo, o sintoma instabilidade e correlacionando-o com atividade. Essa escala posteriormente foi modificada por Tegner e Lysholm, que reconheceram a dificuldade de um escore para lesão ligamentar e resolveram, nessa edição, pesquisar achados clínicos e somente avaliar sintomas e função.

O escore de Lysholm para sintomas do joelho continua sendo uma das ferramentas de avaliação mais utilizadas para os resultados da reconstrução do LCA, embora apenas meça as atividades do cotidiano. Oito fatores são avaliados para produzir uma pontuação geral em uma escala de zero a 100.

Como utilizar o Score de Lysholm no Ninsaúde Apolo?

O software médico Ninsaúde Apolo conta com a funcionalidade de modelos de formulários, onde o profissional de saúde pode incluir questionários que utilizará no atendimento. Esses questionários servem para que o profissional possa realizar uma melhor investigação e documentação dos sintomas e problemas do paciente, de forma prática e ágil. Com o formulário pronto, basta adicionar as respostas. Você pode saber mais sobre essa funcionalidade em nosso artigo "Formulários Ninsaúde Apolo: ferramenta para todas as especialidades".

O profissional de saúde pode criar seus formulários acessando o menu Modelos de formulários, e em seguida pressionando no botão Novo, que fica ao lado superior direito da tela. Se preferir, poderá importar nosso modelo que encontra-se disponível no botão Importar, bastando procurar por sua especialidade e selecionar o formulário desejado.

Os formulários do Ninsaúde Apolo também possuem o campo calculado, por este motivo, ao selecionar as respostas dadas pelo paciente, o profissional de saúde obtém o resultado de score de forma automática, sem a necessidade de realizar cálculos manualmente. Observe no exemplo abaixo como funciona:

Na medida em que novos atendimentos são feitos para o mesmo paciente, utilizando o mesmo formulário, o profissional de saúde poderá utilizar a aba Gráficos para realizar um comparativo entre os resultados obtidos. O gráfico pode ser visualizado nos formatos linha, coluna, ou até mesmo tabela:

Ficou interessado nas funcionalidades do Ninsaúde Apolo, mas ainda não é usuário do software? Entre em contato conosco através de nosso site e solicite uma ligação de nossa equipe de vendas.

Fontes: Orthotoolkit | SciELO