Ao decidir abrir um consultório, é necessário que o profissional de saúde compreenda as diferentes etapas do processo que envolve a abertura de tal negócio e também é muito importante que exista planejamento. Caso você seja da área de dermatologia e ainda não sabe por onde começar seu consultório, hoje iremos lhe ajudar.

Quando falamos em planejamento, é importante saber que existem diferentes estratégias a serem seguidas. Aqui no blog você pode ler um artigo muito completo sobre o planejamento de um consultório de sucesso a longo prazo, que é caracterizado por 4 etapas: captação de clientes, atendimento, fidelização e gestão. Sendo assim, estas etapas dizem respeito ao consultório depois de pronto, mas diferentemente disto, neste novo artigo iremos comentar como se dá o processo de abertura do consultório, ou seja, como montá-lo e deixar do jeitinho que você sempre sonhou!

Registro de Qualificação de Especialista

Além de anos de estudo para se graduar em Medicina, bem como anos de Residência, se você deseja realmente ter seu consultório dermatológico, é imprescindível que você obtenha o RQE (Registro de Qualificação de Especialista), título que comprova que passou no exame e é de fato, um especialista em sua área.

Planejamento

Antes de mais nada, é necessário fazer um balanço de todos os insumos necessários na estrutura de seu consultório, bem como os principais serviços ofertados, público alvo e localização. Tendo todos estes pontos alinhados, a primeira coisa a se fazer é partir para o cálculo de todo o valor que será necessário investir em seu negócio.

Neste momento, contar com a presença de um contador pode ser essencial, pois além de lhe auxiliar na escolha do melhor regime tributário de forma muito simples e ágil, ele poderá colaborar com a obtenção de toda a documentação necessária nessa etapa inicial de abertura, como por exemplo:

  • CNPJ;
  • Alvará da ANVISA;
  • Alvará da Prefeitura;
  • Alvará do Corpo de Bombeiros;
  • CNES;
  • Registro na Junta Comercial;
  • Contribuição Sindical.

Inclusive, caso você não saiba o que é o CNES e qual a importância dele, você pode conferir dois dos nossos artigos aqui do blog onde comentamos sobre o assunto.

CNES: O que é e qual sua importância?
Como fazer o cadastro CNES?

Investimento necessário

Ao colocar todo o investimento necessário na ponta do lápis, é importante não deixar nada para trás. Isso significa que além do aluguel do imóvel, você precisa ter em mente que haverá gastos com:

  • Móveis e decoração de todo o ambiente;
  • Iluminação;
  • Equipamentos para atendimento;
  • Material médico-hospitalar;
  • Água e energia;
  • Software de gestão;
  • Salário de funcionários (no caso de haver uma secretária ou recepcionista, por exemplo);
Aliás, se você ainda está em dúvida sobre a contratação de alguém para lhe auxiliar no consultório, temos aqui um artigo muito interessante para que você saiba qual diferença entre secretária e recepcionista. Vale a pena dar uma conferida!

Como você pode notar na lista acima, incluímos também o software de gestão. Mas afinal, qual a sua finalidade? Bem, a utilização de um software pode ser muito mais benéfica do que você possa imaginar, pois além de auxiliar em toda a parte de gestão do consultório através de suas funcionalidades voltadas ao financeiro, um bom software é essencial para que seus atendimentos fiquem mais personalizados e mais seguros, graças a utilização do prontuário eletrônico.

Ao contratar um software, é importante levar em consideração alguns fatores como: segurança, facilidade na utilização, funcionalidades, suporte oferecido pelo produto e seu custo benefício. Caso você não utilize um software ainda, ou se já utiliza mas deseja mudar, indicamos a você o Ninsaúde Apolo. O Ninsaúde Apolo é indicado para diversas especialidades e conta com várias funcionalidades que auxiliam não só no atendimento médico, mas também em toda a parte de agendamentos e finanças Saiba mais visitando o site Apolo.app.

Escolha da localização

A localização de seu consultório pode ser definida pelo seu público-alvo, pois quanto mais fácil de eles te encontrarem, mais pacientes você terá. Dependendo da região do país, abrir um consultório no centro da cidade quase sempre é a melhor opção. O centro da cidade também é ótimo para quem deseja atrair pacientes que utilizam algum convênio. Em outros casos, se a consulta particular é seu foco, escolha um local que fique próximo a áreas residenciais de classe A e B.

Outra dica importante, é avaliar a necessidade de haver mais um especialista em dermatologia naquela região específica. Procure por áreas onde tal profissional esteja em falta, assim você terá a preferência dos pacientes desta região.

Também é importante ter em mente seus planos futuros para este local: se você deseja permanecer ali por muito tempo, o ideal é adquirir um espaço que possa ser ampliado futuramente. Lembrando que, além dos documentos citados anteriormente, como por exemplo Alvarás, CNPJ, etc., para abrir um consultório também é necessário:

  • Cópia autenticada do RG e CPF;
  • IPTU do imóvel;
  • Cópia do Contrato de Locação ou Compra e Venda.

Estrutura do imóvel

Ao abrir um consultório, você pode optar por construir seu próprio imóvel ou poderá optar pelo aluguel (sem esquecer de incluir sua escolha em sua lista de gastos). Independentemente disso, é importante avaliar se a estrutura possui espaço suficiente para tudo o que é necessário em um consultório. Em geral, um consultório dermatológico precisa ter:

  • Sala de recepção;
  • Sala de atendimento;
  • Sala de procedimentos;
  • Banheiros;
  • Copa (necessária para que funcionários utilizem).

Regularização do consultório

Conforme mencionamos na parte de planejamento, alguns documentos serão necessários na abertura de seu consultório, e a maioria deles dizem respeito à regularização do estabelecimento. Neste sentido, é importante saber qual será o tipo de atendimento implementado, que deverá seguir uma das categorias da ANS (Agência Nacional de Saúde). Após essa etapa, é chegado o momento de registrar seu consultório e obter um CNES, e feito isso, poderá partir para as outras etapas também citadas anteriormente (como os Alvarás, por exemplo).

Algo que também é importante se preocupar, é a elaboração de um PGRSS - Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. O PGRSS é um documento técnico e baseia-se nos princípios da não geração e da minimização, visando também o tratamento e disposição final de itens que necessitam de manejo diferenciado. Além disso, o PGRSS tem como objetivo proteger os trabalhadores envolvidos e preservar o meio ambiente e a saúde pública. Para saber mais detalhes sobre o assunto, confira nosso artigo "Como fazer um PGRSS para sua clínica".

Administração e Marketing

Após a abertura de seu consultório, é chegado o momento de trabalhar para colher os frutos. Mas lembre-se, para manter seu consultório em alta, é necessário se atentar aos pontos que mencionamos em nosso artigo "Como ter um consultório de sucesso em 4 passos". Saber onde e como captar clientes é importante, mas não esqueça que a forma como você os atende é primordial para seu sucesso, afinal, somente com um bom atendimento vem a fidelização. E por fim, não esqueça de realizar uma boa gestão.


E aí, gostou das dicas? Continue acompanhando o blog para ficar por dentro de mais conteúdo como este. É profissional de saúde mas ainda não utiliza um software de gestão para a sua clínica ou consultório? Conheça o Ninsaúde Apolo.